Nós, nuvens

As árvores passeiam e nós, nuvens que somos, permeamos as folhas e nos tocamos. O contato físico é intenso e nos estendemos o quanto podemos para nos sentirmos. Viemos trazer vestígios da madrugada e também o despertar, do amor. Embora o frio seja intenso e, de ontem, ainda carregamos a dor. Felipe Abras. Para conhecer... Continuar Lendo →

Perdão

Olho-me sinto-me poesia destas assim que se vangloriam são porque são apesar das folhas, já mortas que caem em grãos. Sou poesia vadia feminina mais homem que qualquer garanhão enfeita os cabelos pra ganhar mais pão migalhas de um utópico amor que range os dentes sabendo as correntes e o tanto demente que faz seu... Continuar Lendo →

Digestão

Rodeados por montanhas Vasculhamos as entranhas Digerimos o medo embora E cravamos paz afora. Informação é luz Mas há que não a enxergue Nem por dura cruz. Cama dura mente flua Lá em cima já vem lua: Desafie a morte Não se ocupe do medo, Tarda a sorte Mas não se vive detento! Uivantes folhas... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: